4 Passos Para Ativar um Cliente!

Comece a vender hoje mesmo!

Faça como milhares de leitores e aprenda as técnicas para se tornar um expert em conversão.

Marketing Digital

Inbound Marketing | O que é?

o-que-e-inbound-marketing

Inbound Marketing

Muito se comenta sobre este termo que tem ganhado cada vez mais notoriedade entre os especialistas e profissionais de Marketing no Brasil e no mundo. E a primeira coisa que vem a mente quando alguém tenta explicar, o que é Inbound é o já tradicional Marketing de Conteúdo.

Há pouco mais de uma década, ou melhor. Antes da Web 2.0. A forma mais comum de vender os produtos era a seguinte: A empresa criava a campanha, atraia o prospect, fazia uma oferta e vendia. Com a mudança logo após o ano 2000, onde ficou conhecida de web 2.0. Poucos anos depois as empresas começaram a enxergar a necessidade de produzir conteúdo e um pouco mais tarde, por volta de 2007 começou a se popularizar o termo “Inbound Marketing”

Mudando o modo de fazer publicidade

Aos poucos, as redes sociais e os blog’s foram ganhando espaço e conquistando cada vez mais adeptos. E o volume de informações na web já não era criado exclusivamente pelos grandes portais. Agora, pela primeira vez, pessoas comuns começavam produzir conteúdo. Logo surgiram os blogueiros. E as empresas, que antes investiam apenas no marketing direto. Perceberam que, gerar valor através de conteúdo relevante era um bom investimento.

Perceba que, quando uma empresa investe em publicidade. Assim que a campanha sai do ar, as vendas despencam e logo precisa investir de novo, caso queira continuar vendendo. E nisso o conteúdo já ganha de lavada. Por que, quando uma empresa escreve um artigo, infográfico, ebook, etc. Este conteúdo é indexado pelo Google e outros mecanismos de busca e por isso se perpetua. Fazendo com que aquela empresa seja encontrada pelo cliente ao invés de ter que investir para prospectá-lo. De maneira S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L.

Nos Estados Unidos sugiu o termo “Inbound”.

Aparentemente, com os mesmos aspectos do marketing de conteúdo. Porém, com uma diferença enorme quando visto de uma perspectiva comercial. Um blogueiro, muitas vezes escreve simplesmente para atrair leitores. Sem o intuito de vender nada. Se objetivo é alcançar o máximo de pessoas e trazer tráfego para sua página. Assim pode monetizá-la com banner’s e links de patrocinadores. Da mesma forma, várias empresas que tentam navegar neste segmento, se perdem na hora de produzir o conteúdo. Até produz informações relevantes, satisfaz a necessidade de seus leitores, mas não consegue usar o conteúdo produzido para vender. Isso, nós chamamos de Marketing de Conteúdo. Quando o foco principal é atrair leitores.

A confusão entre os dois termos se dá pelo seguinte motivo. No Inbound, existe o conteúdo, da mesma maneira. Porém, com algumas particularidades. Provavelmente você já ouviu falar em: “Palavras que Vendem”, “WebWriter”, “CopyWriter” “Gatilhos Mentais”. São técnicas que aparecem sutilmente dentro do conteúdo para levar o leitor para uma ação específica. É como um “marketing subliminar”. Acabei de inventar este termo, mas é uma boa forma de ilustrar. Por que, no Inbound. Todo conteúdo tem uma razão, muitas vezes oculta para o leitor.

Os termos citados acima, criaram um profissional, hoje conhecido como: CopyWriter, geralmente é alguém com um conhecimento razoável de gramática, boa concordância e ótimo poder de persuasão. Ou seja, consegue encaixar as “palavras matadoras” no meio do texto, para levar os leitores para a ação desejada.

Outro fator muito interessante, é que no Inbound, não se usa uma única ferramenta, ou canal de divulgação. Hoje, usa-se: Redes Sociais, Conteúdo em Blog’s, Funis (ou Máquina de Vendas), Mecanismos de Buscas e outros. Tendo, entre as redes sociais, papéis altamente relevantes neste cenário as Fanpages (Páginas de fãs do Facebook) e os Canais no Youtube.

O segredo é atrair para vender

Então, para concluir este raciocínio e você nunca mais ter dúvidas sobre o que é Inbound Marketing. Vamos falar das páginas, geralmente usadas. Que são: Squeeze Pages (Páginas de Captura), Landing Pages (Páginas de Vendas), Páginas para Downloads, Páginas para Webnários e outras.

Quando eu digo que a diferença de um para o outro, é que no Inbound, leva-se o usuário para uma ação específica, enquanto no Marketing de Conteúdo. O objetivo principal é atrair leitores. Imagine comigo uma determinada empresa ou profissional liberal usando estas técnicas.

Deve criar uma página no facebook, um canal no youtube, um blog (e otimizar para os mecanismos de busca). Daí pra frente, todo conteúdo postado em qualquer um destes canais tem um único objetivo. Vamos supor que esta empresa tenha um produto ou serviço e criou um funil (sequência automática de emails). A função desta sequência é gerar autoridade para a empresa, despertar desejo pelo produto, matar objeções e no final fazer uma oferta. Todos os emails que forem capturados através da página de captura, caem nesta sequência.

Definindo Inbound Marketing

Agora as coisas começam a fazer sentido. Por que, ao criar um vídeo e postar no youtube. Deve ter na descrição um link, para a página de captura. Além de chamadas para ação no vídeo, incentivando o clique no link. Diariamente deve haver interação no Facebook com os fãs. E entre as postagens, é necessário, direcioná-los para a página de captura, outrora para um artigo no blog e neste artigo. Adivinhe, (tem um link para a página de captura). Sem falar que semanalmente deve produzir conteúdo em texto para o blog. Sempre com um único objetivo. Conversar com os leitores sobre o resultado que o produto, que ele nem sabe que vai ser ofertado pra ele pode proporcionar. E no fim de cada artigo, o que chamamos de “Call to Action” ( Chamada para ação). Um botão ou link, que mande direto para a página de captura.

Percebe como as coisas começam a fazer sentido. No Inbound Marketing, usamos conteúdo para vender. Óbvio que o conteúdo, tem a obrigatoriedade de ser conteúdo rico e de qualidade. Tem que passar confiança para o leitor. É uma propaganda disfarçada. Literalmente terá que entregar o seu melhor. Para conseguir atrair e encantar. Só assim conseguirá levá-los para a sequência de vendas.

Sei que tudo isso parece muito complicado e até certo modo surreal. Mas o fato é que existem ferramentas hoje que nos ajudam. Desde a criação da página de captura, até a automatização da sequência de emails e página de check-out quando o cliente apertar o botão COMPRAR.

Se gostou deste conteúdo e acha que deve implementar no seu negócio, porém não sabe como começar. Logo abaixo deste artigo tem um formulário. Coloque seu email lá. E ganhe uma consultoria totalmente grátis.

inbound-funil

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.